Atibaia começa a vacinar jovens de 12 a 15 anos com comorbidades


JORNAL ESTÂNCIA DE ATIBAIA


Imunização dessa faixa etária com comorbidades, deficiências, gestantes e puérperas começa nesta quinta-feira (26) na UBS do Centro


Atibaia inicia nesta quinta-feira (26) a vacinação contra a Covid-19 de adolescentes de 12 a 15 anos com comorbidades, deficiências, gestantes e puérperas, e segue vacinando os jovens de 16 e 17 anos nestas mesmas condições. A imunização acontece na UBS Oswaldo Paccini, no Centro, das 13h até as 16h, sem necessidade de agendamento nesta primeira fase.


Adolescentes acompanhados pelo responsável no momento da imunização poderão se vacinar apenas com autorização verbal, desde que jovem e responsável apresentem os documentos de identificação com foto. Os que estiverem desacompanhados deverão apresentar uma autorização (em 2 vias) assinada pelo responsável. Essa autorização é o Termo de Assentimento Livre e Esclarecido e está disponível AQUI.


Para se vacinar, é obrigatório apresentar – além do documento de identificação – laudos, exames, receitas e relatórios médicos que comprovem a comorbidade ou deficiência e, no caso das gestantes e puérperas, carteira de pré-natal ou declaração de nascimento do bebê. A comprovação de comorbidade por carta médica deve seguir o modelo de Declaração de Comprovação de Comorbidade, disponível AQUI.


A Secretaria de Saúde solicita que sejam apresentados original e cópia simples desses documentos de comprovação da comorbidade, condição e deficiência, pois a cópia ficará retida para revisão e fornecimento de informações ao Poder Judiciário em caso de solicitação ou dúvida. A Pasta também recomenda levar carteira de vacinação do adolescente para que seja verificado se ele tomou outra vacina recentemente, já que o recomendável é manter intervalo mínimo de 14 dias entre quaisquer vacinas.


Condições, comorbidades graves e deficiências contempladas nesta fase:


– Gestantes e puérperas até 45 dias pós-parto, com comprovante (Declaração de Nascimento do bebê, carteira de pré-natal); – Câncer em tratamento há menos de 6 meses; – Doenças cardíacas graves com ou sem cirurgia, comprovadamente; – Doenças pulmonares graves, como fibrose cística. Asma somente casos graves nesse momento – como os que já ficaram internados por estado de mal asmático. – Deficiências físicas graves comprovadas, deficiência mental, autismo grave, institucionalizados ou com muitas restrições no seu funcionamento, Síndrome de Down e outras doenças congênitas que causem risco de vida; – Doença renal crônica em diálise, com comprovação; – Imunocomprometidos – portadores de HIV, transplantados de órgãos sólidos ou de medula óssea, portadores de doenças autoimunes em uso de imunossupressores; – Hemoglobinopatias graves, como doença falciforme e talassemia maior; – Doença hepática grave, como cirrose; – Obesidade mórbida – na adolescência 40 de IMC ou mais; – Diabetes em uso de insulina.