top of page
Banner_ESTANCIA_ATIBAIA_Ubs_Imperial_979x182.png
Banner_ESTANCIA_ATIBAIA_Ubs_Imperial_979x182.png
Buscar
  • Jornal Estancia de Atibaia

Aumento dos casos de dengue em Atibaia, como prevenir-se da doença.

JORNAL ESTÂNCIA DE ATIBAIA

casos de dengue em Atibaia
casos de dengue em Atibaia

Saiba quem pode tomar a vacina, quais os sintomas mais comuns e como se proteger do mosquito transmissor

 

O Ministério da Saúde iniciou a distribuição das vacinas imunizantes contra a dengue para a vacinação do público-alvo inicial pelo Sistema Único de Saúde (SUS), as crianças de 10 e 14 anos, conforme recomendação da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização (CTAI) e da Organização Mundial de Saúde (OMS). As regiões e faixa etária selecionadas a princípio atendem a critérios específicos como o porte dos municípios, taxa elevada de transmissão da doença entre 2023 e 2024 nesses locais, maior número de hospitalização na idade selecionada, entre outros fatores.


Essa definição prioritária foi necessária em virtude da capacidade limitada de fornecimento das doses pela fabricante da vacina. Na rede particular a vacina contra dengue está indicada em pessoas de 4 a 60 anos, sendo o esquema completo com 2 doses e intervalo de 3 meses. Contudo, neste momento de aumento de casos no Brasil e a vacinação ainda restrita, o reforço governamental e dos hospitais públicos e privados é de que haja intensificação na prevenção, com cuidado constante para a eliminação dos focos do mosquito transmissor dentro do domicílio e arredores, além de uso frequente de repelentes.


A dengue é uma doença infecciosa febril aguda transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti. O ciclo de vida do microrganismo ocorre em quatro etapas: ovo, larva, pupa e adulto, sendo o acúmulo de água limpa e parada em recipientes, vasos de plantas, pneus, calhas entupidas e garrafas o foco do depósito dos ovos para o início desse processo de desenvolvimento.


O ciclo leva 7 dias, portanto é indicado que a população monitore os possíveis reservatórios pelo menos uma vez por semana em suas casas, não permitindo que o mosquito se desenvolva e possa transmitir a doença.


“É extremamente importante criar essa rotina semanal. Com a alta de casos no Brasil é primordial fazer uso do repelente e de telas de proteção sempre que possível, além de estar atento para a higienização de bebedouros. Essas atitudes fazem a diferença e protegem tanto o indivíduo quanto as pessoas que estão ao seu redor”, explica a infectologista do Sabin Atibaia, Renata D’Avila Couto.


Segundo a médica, os quadros clínicos da dengue são benignos na maioria das vezes, mas pode haver evolução para uma doença mais grave e até ao óbito. Os principais fatores para a gravidade incluem: a idade (crianças e idosos), infecção anterior por dengue, gestantes, histórico de doenças do indivíduo (problemas no coração, rins, obesidade, diabetes, entre outros). “Os quatro sorotipos da dengue classificados em 1, 2, 3 e 4 podem levar a manifestação leves ou mais complicadas da doença. O importante é estar atento aos sinais de alarme e se hidratar adequadamente.”, reforça Renata D’Avila Couto.


De acordo com a especialista, o infectado pode apresentar sintomas iniciais comuns a várias doenças, tendo febre, dor de cabeça (atrás dos olhos, principalmente), dores fortes pelo corpo, manchas pela pele (exantema) e, em alguns casos, náuseas e diarreia. Porém, existem sinais de alerta, como dor abdominal intensa, vômitos persistentes, queda da pressão arterial e qualquer sangramento, incluindo de mucosas do nariz e gengiva.


“Muitas pessoas acreditam que não apresentando mais febre, que o risco de evoluir com piora ou gravidade passou. Porém, a fase crítica da doença é entre o terceiro e sexto dia do início dos sintomas, quando a pressão baixa pode ser um sinal inicial de agravamento da doença. Se houver suspeita, procure imediatamente a unidade de saúde perto da sua casa e fique atento aos sinais de alarme. A hidratação intensa é fundamental no tratamento da dengue”, acrescenta Couto.


Além disso, a especialista do Sabin Atibaia adverte que, mesmo que o paciente já tenha tido dengue anteriormente, ele continua com risco de ser infectado novamente e adoecer, aumentando as chances de evolução para um quadro mais grave.  “Para esses casos, a vacina está fortemente indicada. Mas de qualquer forma, atentar-se para importância de uso de repelentes por todos, inclusive por quem está com dengue, ajuda a impedir que o mosquito pique e transmita a doença para pessoas da mesma residência, vizinhança, trabalho, entre outros Espaços”, finaliza.

 

Sobre o Sabin Atibaia: O Albert Sabin Hospital e Maternidade foi inaugurado em 1997 em Atibaia e, atualmente, é referência na região Bragantina na área médico-hospitalar. Tem ampla capacidade de atendimento integrado a um ambiente acolhedor e humanizado. O Hospital conta com mais de 12 mil m2 de área construída, cerca de 100 leitos de internação, duas UTIs, quatro unidades de atendimento e mais de 800 colaboradores.


Além dos pacientes particulares, o Sabin Atibaia, como é chamado, realiza assistência de saúde para beneficiários de mais de 20 convênios médicos, atendendo mais de 17 municípios nos estados de São Paulo e Minas Gerais.

 

Commentaires


anuncioNOVOconc.png
anuncioNOVOconc.png