WhatsApp Image 2022-08-05 at 15.21.46
WhatsApp Image 2022-08-05 at 15.21.46

Algodão Doce Kids & Baby

press to zoom
Procura Dobby
Procura Dobby

A Procura por Dobby

press to zoom
Seguros
Seguros

seu Seguro esta Aqui

press to zoom
WhatsApp Image 2022-08-05 at 15.21.46
WhatsApp Image 2022-08-05 at 15.21.46

Algodão Doce Kids & Baby

press to zoom
1/11

Mãe e padrasto são presos por maus-tratos e morte de bebê em Atibaia


atibaia
Mãe e padrasto são presos em Atibaia

JORNAL ESTÂNCIA DE ATIBAIA


A mãe e o padrasto de um bebê encontrado morto em Atibaia foram presos pela polícia nesta segunda-feira (23).


De acordo com a investigação, o laudo feito pelos médicos após a morte apontou que a criança morreu em decorrência de um trauma na cabeça.


Após serem detidos, a mãe confessou que agredia e que derrubou a criança de cabeça no chão.


O bebê foi encontrado morto neste domingo (22) por familiares da mãe da criança, uma adolescente de 17 anos. Segundo as tias, o bebê de um ano e quatro meses estava no carrinho de bebê em um quarto, mas já sem vida. Os parentes acionaram a polícia e em primeira análise os médicos não conseguiram constatar o que teria causado a morte do bebê. A criança tinha hematomas, marcas de queimadura, aparentemente de cigarro, e uma costela quebrada. Como o laudo, no entanto, não era conclusivo sobre a causa da morte, os pais foram indicados como investigados, mas permaneceram em liberdade.

Após o laudo do Instituto Médico Legal (IML) na tarde desta segunda-feira, a polícia decidiu pela prisão do padrasto e detenção da mãe. O relatório apontou que a criança morreu em decorrência de lesões na cabeça e a polícia.

Quando os policias chegaram na casa da família, os dois já tinham deixado o imóvel, mas foram presos no Centro, na tentativa de fuga.

Na delegacia, a mãe confessou que agredia a criança com chineladas e que tinha deixado que caísse. O padrasto ainda disse que presenciava as agressões. Os dois são usuários de drogas.

O padrasto foi preso e a mãe apreendida e vai ser encaminhada à Vara da Infância e Juventude que vai decidir se ela vai ser encaminhada à Fundação Casa. O caso foi registrado como maus-tratos com agravante da morte do bebê.



LEIA MAIS

Polícia Civil investiga morte de bebê com sinais de maus-tratos em Atibaia