Quantidade de drogas apreendidas no Estado é a maior em 21 anos


JORNAL ESTÂNCIA DE ATIBAIA


Forças de segurança estaduais recolheram mais de 150 toneladas de entorpecentes no primeiro semestre, a maior quantidade registrada para o período, desde 2001


O trabalho das polícias Civil e Militar no Estado de São Paulo para combater o tráfico de drogas retirou mais de 150 toneladas de entorpecentes das ruas, nos primeiros seis meses deste ano. A quantidade é a maior para o período em 21 anos e 50,1% maior que a do primeiro semestre de 2020, o que demonstra a efetividade das ações empregadas, especialmente por parte de unidades especializadas de ambas as Instituições.


No primeiro semestre do ano foram apreendidos 150.033,8 quilos das mais variadas substâncias, sendo 130.868,2 kg de maconha; 14.263,9 kg de cocaína; 2.013,6 kg de crack; e o restante de outros tipos de drogas. Em igual período de 2020 foram recolhidos 99.946,5 kg de entorpecentes – 85.777,8 kg de maconha; 11.060,1 kg de cocaína; 926,3 kg de crack; além de outras substâncias.


Desde 2001, quando teve início a série histórica, essa foi a primeira vez que a quantidade de drogas apreendidas no semestre ultrapassou 100 toneladas.


Se analisado apenas o mês de junho, o aumento na apreensão de entorpecentes no território paulista foi de 57,1% este ano, se comparado ao sexto mês do ano anterior. A quantidade passou de 26.285,9 kg para 41.296,8 kg, sendo que no mês passado 94,3% do total se refere apenas a maconha (38.977,6 kg).


Forte combate ao crime


Os resultados apresentados na atual gestão no combate à criminalidade, especialmente ao tráfico de drogas, são consequência dos investimentos em tecnologia e equipamentos e de outras medidas, como o aumento do efetivo policial nas ruas por meio das megaoperações São Paulo, Interior e Rodovia Mais Segura.


Também houve forte empenho do governo estadual para ampliar as unidades especializadas das polícias Militar e Civil, que têm como foco combater o crime de maneira mais ostensiva.


Prova disso são os Batalhões de Ações Especiais de Polícia (Baep), que atuam de forma semelhante aos padrões do patrulhamento de Choque e agora estão presentes em todo o Estado; além das Divisões Especializadas de Investigações Criminais (Deic), que reúnem todas as atividades de polícia especializada, trazendo mais organização e eficiência, podendo ser encontradas em diversas regiões do território paulista.


Somado a isso, há que destacar o trabalho do policiamento rodoviário, que atua em mais de 20 mil quilômetros de rodovias estaduais, inclusive nas rotas usadas por traficantes para transportar entorpecentes dentro e entre estados. Neste caso, também há equipes especializadas para combater esta e outras naturezas criminais, as quais pertencem ao Tático Ostensivo Rodoviário (TOR).