WhatsApp Image 2020-11-16 at 16.39.47.jpeg
AdvogadosEDITAIS.png
Publicado neste jornal em 27112021 as 0950hs (6).png
anunvioio (1).png
WhatsApp Image 2021-11-25 at 10.15.02.jpeg
Sem títuloclasificada.png

Vereador Júlio Mendes comentou pedidos nas áreas de educação, saúde, manutenção e obras



JORNAL ESTÂNCIA DE ATIBAIA


Ele reforçou o alerta do presidente para que haja mais fiscalização sobre as aglomerações em Atibaia


O vereador Júlio Mendes fez seu balanço semanal de demandas no espaço do Tema Livre, durante a sessão de 15 de junho, registrando inicialmente a necessidade de transporte escolar para os alunos da Escola Nelson Pedroso, do bairro do Portão.


Outro pedido no mesmo bairro e na Ponte Alta é a abertura de salas do EJA (Educação de Jovens e Adultos), na Escola Nelson Pedroso e na Escola Franco Montoro. Os pedidos já foram formalizados. Outra demanda da área educação ao gabinete do vereador veio da comunidade da Boa Vista, que precisa de mais duas salas de aula na Escola Eva Vallejo.

Quanto à manutenção de vias e obras de infraestrutura, Júlio Mendes citou a solicitação de moradores do Laranjal. “Comboio de máquinas está trabalhando nas estradas e vias adjacentes. Depois, atenderão o Rio Abaixo e a Ponte Alta. As vias foram bastante castigadas pelas chuvas e precisam de roçagem e drenagem”.


“Para finalizar, concordando com o presidente no caso das aglomerações, o problema realmente tem nos preocupado. Há a possibilidade de termos medidas ainda mais restritivas. Não queremos que isso aconteça. Sabemos o quanto o comerciante da cidade sofreu com os fechamentos. O impacto foi bastante negativo na economia. Por isso, pedimos novamente a cooperação, a conscientização das pessoas, para que tenham mais responsabilidade, evitando participar de eventos perigosos à saúde pública”, alertou o vereador.


“Recebi inúmeros pedidos de transferência para outros hospitais porque a nossa Santa Casa, que tem 20 pessoas intubadas, não tem mais leito. Há o risco de uma terceira onda e precisamos nos atentar para a gravidade dessa doença. Mesmo com a primeira dose ou as duas doses, as pessoas continuam sob o risco e podem ser infectadas ou até falecer por conta dos sintomas, além de contaminar entes queridos. Vemos que a grande maioria da população acaba pagando pela irresponsabilidade de alguns. Reforçamos o pedido de mais fiscalização por parte da Prefeitura”, concluiu Júlio Mendes.